28/12/2015

E quando o vento muda de direção?

Imagem de funeral, negro, and que
We Heart It
Um dia me disseram que a pior dor do ser humano é ver enterrando a pessoa que ele mais ama, bem na sua frente. Ouvi dizer também que é sufocante, que por um segundo ou talvez vários, você imagina se jogando para tentar impedir que a levem, mas não adianta. A pior voz é aquela onde uma pessoa que você mal conhece ou talvez nunca tivesse visto antes, diz apenas uma vez “Mais alguns minutos para podermos fechar o caixão”, AH! Não existe coração que não leve tranco, aquele momento devia ser o qual você teria milhares de coisas a dizer, mas acaba sendo o qual sua boca nem consegue se abrir, “Te Amo, me desculpa, não me deixe, Por que você e não eu?, Vamos embora” nada disso vai mudar o que está acontecendo, você irá perder o total controle das suas lágrimas, você vai ficar realmente sem chão, irá querer sair correndo para fugir da dor, mas é inevitável. O que mais dói, além da própria dor, é ver os seus  familiares na mesma situação, ver chorando talvez quem você ainda não sabia que chorava, mas que quando esse dia chega dificilmente alguém consegue ser totalmente forte, e não deixar uma lágrima escorrer. Se tudo estava triste e sem sentido, ainda ficará mais. Lembra daquela voz? Que vai te dizer que o tempo simplesmente acabou e sem perguntar se já pode, irá colocar uma tampa em cima do rosto de alguém que você ama e carregá-la para longe, pois então, essa hora é a mais dolorosa, porque até ai então todos estavam um certo tanto conformados, mas na hora que colocarem alguém tão importante para você dentro de um buraco fundo e simplesmente começarem a jogar terra em cima dessa pessoa, ah meu amigo, ai o tal do desespero bate, bate não, ele te espanca mesmo, você não sabe o que você faz, se você chora, grita, corre ou apenas implora para não fazerem isso, e não pense que vão fazer tudo isso com carinho e cuidado porque não vão não, e quando terminarem apenas irão virar as costas e ir embora, e você? Com certeza continuará lá, imóvel ou talvez debruçada sem ligar se for sob a terra. Eu disse que a segunda dor é ver enterrando o ente querido não é mesmo?, mas posso afirmar que a segunda parte dessa mesma dor vêem a ser concluída quando você volta para sua casa, isso é se você morar junto com a pessoa, porque não existe vazio maior do que colocar os pés em um chão que você sabe que ela nunca mais irá pisar, você vai sair em disparo gritando pelo nome da pessoa, vai olhar no quarto e ela não está, no banheiro, cozinha, sala, quintal também não, você irá olhar ao seu redor virá um monte de fotografias, todas com ela sorrindo, e pior ainda se não tiver nenhuma, porque agora já é tarde de mais para tirar. Se for seu marido ou esposa, na hora de dormir você não irá conseguir pegar no sono, vendo a cama tão vazia, notará o quão é espaçosa, no meio da madrugada  se esquecerá chamando-o pelo nome e então passará a mão procurando, mas não irá achar ninguém, quando abrir então os olhos tudo o que houve virá de uma vez só na sua cabeça, o seu coração irá se disparar, os seus olhos vão se encher de água e suas noites serão mal dormidas. E acredite, não a dor maior do que perder alguém que estava ali todo dia, conversando, aconselhando e alegrando o dia dos que estavam ao seu redor. Disseram-me também que enterrar uma mãe não dói tanto quanto enterrar um filho, eu discordo, as dores são diferentes, porém possuem o mesmo efeito sob as pessoas. Quando é o seu filho que está lá dentro daquele caixão, talvez branco por causa da sua idade, não a como se conformar com uma vida brilhante sendo desperdiçada, por ver alguém tão jovem indo embora de uma forma tão dolorosa e inexplicável, e o pior de tudo sem que você pudesse fazer algo para impedir. Então você se lembra da ultima conversa, da ultima vez que você o viu, talvez até mesmo do ultimo pedido, algo que você pode nem mesmo ter conseguido concretizar. Você irá pedir a Deus para trocar os lugares, e até mesmo poderá culpar Deus sem conseguir entender que à hora era aquela. Você chegará a sua casa e se deparará com aqueles brinquedos que divertia a pessoa que você mais amava nesse mundo, dona (o) do sorriso mais alegre e aconchegante que existia, e abrirá gavetas e cada peça de roupa haverá uma história, momentos, seu coração ficará com um vazio que não a remédio que cura, e não pense que passará porque me disseram que não passa que você aprende a conviver com aquilo, mas que sempre irá doer quando menos esperar e sempre irá remoer seu coração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário