28/12/2015

E quando o vento muda de direção?

Imagem de funeral, negro, and que
We Heart It
Um dia me disseram que a pior dor do ser humano é ver enterrando a pessoa que ele mais ama, bem na sua frente. Ouvi dizer também que é sufocante, que por um segundo ou talvez vários, você imagina se jogando para tentar impedir que a levem, mas não adianta. A pior voz é aquela onde uma pessoa que você mal conhece ou talvez nunca tivesse visto antes, diz apenas uma vez “Mais alguns minutos para podermos fechar o caixão”, AH! Não existe coração que não leve tranco, aquele momento devia ser o qual você teria milhares de coisas a dizer, mas acaba sendo o qual sua boca nem consegue se abrir, “Te Amo, me desculpa, não me deixe, Por que você e não eu?, Vamos embora” nada disso vai mudar o que está acontecendo, você irá perder o total controle das suas lágrimas, você vai ficar realmente sem chão, irá querer sair correndo para fugir da dor, mas é inevitável. O que mais dói, além da própria dor, é ver os seus  familiares na mesma situação, ver chorando talvez quem você ainda não sabia que chorava, mas que quando esse dia chega dificilmente alguém consegue ser totalmente forte, e não deixar uma lágrima escorrer. Se tudo estava triste e sem sentido, ainda ficará mais. Lembra daquela voz? Que vai te dizer que o tempo simplesmente acabou e sem perguntar se já pode, irá colocar uma tampa em cima do rosto de alguém que você ama e carregá-la para longe, pois então, essa hora é a mais dolorosa, porque até ai então todos estavam um certo tanto conformados, mas na hora que colocarem alguém tão importante para você dentro de um buraco fundo e simplesmente começarem a jogar terra em cima dessa pessoa, ah meu amigo, ai o tal do desespero bate, bate não, ele te espanca mesmo, você não sabe o que você faz, se você chora, grita, corre ou apenas implora para não fazerem isso, e não pense que vão fazer tudo isso com carinho e cuidado porque não vão não, e quando terminarem apenas irão virar as costas e ir embora, e você? Com certeza continuará lá, imóvel ou talvez debruçada sem ligar se for sob a terra. Eu disse que a segunda dor é ver enterrando o ente querido não é mesmo?, mas posso afirmar que a segunda parte dessa mesma dor vêem a ser concluída quando você volta para sua casa, isso é se você morar junto com a pessoa, porque não existe vazio maior do que colocar os pés em um chão que você sabe que ela nunca mais irá pisar, você vai sair em disparo gritando pelo nome da pessoa, vai olhar no quarto e ela não está, no banheiro, cozinha, sala, quintal também não, você irá olhar ao seu redor virá um monte de fotografias, todas com ela sorrindo, e pior ainda se não tiver nenhuma, porque agora já é tarde de mais para tirar. Se for seu marido ou esposa, na hora de dormir você não irá conseguir pegar no sono, vendo a cama tão vazia, notará o quão é espaçosa, no meio da madrugada  se esquecerá chamando-o pelo nome e então passará a mão procurando, mas não irá achar ninguém, quando abrir então os olhos tudo o que houve virá de uma vez só na sua cabeça, o seu coração irá se disparar, os seus olhos vão se encher de água e suas noites serão mal dormidas. E acredite, não a dor maior do que perder alguém que estava ali todo dia, conversando, aconselhando e alegrando o dia dos que estavam ao seu redor. Disseram-me também que enterrar uma mãe não dói tanto quanto enterrar um filho, eu discordo, as dores são diferentes, porém possuem o mesmo efeito sob as pessoas. Quando é o seu filho que está lá dentro daquele caixão, talvez branco por causa da sua idade, não a como se conformar com uma vida brilhante sendo desperdiçada, por ver alguém tão jovem indo embora de uma forma tão dolorosa e inexplicável, e o pior de tudo sem que você pudesse fazer algo para impedir. Então você se lembra da ultima conversa, da ultima vez que você o viu, talvez até mesmo do ultimo pedido, algo que você pode nem mesmo ter conseguido concretizar. Você irá pedir a Deus para trocar os lugares, e até mesmo poderá culpar Deus sem conseguir entender que à hora era aquela. Você chegará a sua casa e se deparará com aqueles brinquedos que divertia a pessoa que você mais amava nesse mundo, dona (o) do sorriso mais alegre e aconchegante que existia, e abrirá gavetas e cada peça de roupa haverá uma história, momentos, seu coração ficará com um vazio que não a remédio que cura, e não pense que passará porque me disseram que não passa que você aprende a conviver com aquilo, mas que sempre irá doer quando menos esperar e sempre irá remoer seu coração.


22/12/2015

E falando do tal do amor...

We Heart It

Já havia anoitecido, na verdade já eram duas da manhã, aqui de fora fazia frio, mas era o único lugar que eu conseguia pensar na vida. Não era difícil de enxergar o tanto que o egoísmo das pessoas havia aumentado, não todas lógico, muitos tinham a felicidade na frente de si, mas preferiam olhar por fora, como se a moldura fosse realmente mais importante e valiosa do que a pintura. Mas eu não, eu me encantei por toda aquela humildade, que posso dar a certeza que iluminaria qualquer túnel sem saída, beco ou quem sabe uma floresta inteira. Bastava um sorriso, e pronto, todos os problemas já estavam resolvidos, pensa em uma mente brilhante, que cada idéia já era solução, cada conselho um alívio pra alma. Eu nunca fui de reparar muito nas pessoas, mas se tinha algo que me enchia de orgulho era aquele esforço todo, podia fazer sol ou chuva e lá estava ele, buscando por tudo e sempre com toda sua honestidade, e ta aí outra coisa que não passava despercebida aos meus olhos, uma força de vontade incrível, uma grande dignidade e um coração de enorme bondade. Um menino de ouro, que se não tinha jeito ele fazia ter, só com uma gargalhada, pronto meu dia já estava alegre de verdade. Ficar doente não era bom, mas ser cuidada por ele era e não tinha palavra que descrevesse o que era ficar melhor antes do remédio fazer efeito. Eu me lembro de um filme que eu assisti uma vez, Zorro, lembro que não prestei atenção em momento algum desse filme, porque eu estava do lado dele, e acredite, minha concentração tirava uma folga. Eu me importava com muitas coisas, mas depois de um tempo passei a ver a vida de outro jeito, o lado simples dela é o melhor, acredite. AH, a gente era uma mistura, que nem feijão com arroz, calda com sorvete e claro, leite com café. A vida até que dava uma chacoalhada às vezes, mas sempre cruzava os caminhos de novo, como se fosse pra ser, e era. Nunca fui boa em falar de sentimentos, mas eles davam um empurrão na hora de falar, imagina um grande roseiral sem nenhuma rosa em plena primavera, pois então, era assim que eu me sentia quando ele não aparecia, como se algo faltasse, mas quando ele surgia pensa em um sol que brilhava forte, no final da tarde os pássaros voavam para longe para se aconchegar, mas alguns voltavam só para ouvir ele tocar, não havia um que não se sentia feliz, e não havia quem controlasse os pés para não querer dançar.

21/12/2015

Saudade engole a gente menina...

Dizem que a saudade é um grito no vazio, sentimento que corroe a alma, que tira o sossego, eu nunca ouvi falar de ninguém que morreu por sentir saudade, mas já ouvi falar de quem perdeu a vontade de se viver por causa dela. Coração é um órgão estranho, está ali para cumprir sua função, mas sai com mais papeis do que muitos atores por ai. Quando estamos passando por alguma fase, seja ela boa ou ruim, nunca damos muita importância a ela, só que o tempo não espera, ele age e muito rápido, quando vemos já é 10 de maio de 2020 e tudo aquilo que aconteceu? Será que nos serviu para algo? Será que a gente conseguiu tirar proveito de cada situação vivida, e será que hoje a gente sabe dizer por que acontecem coisas ruins quando tudo está indo bem? A vida é aquela filmagem acelerada, que em um momento estou aqui escrevendo, amanhã me casando e depois só Deus sabe aonde. Uma vez eu li que se queremos algo devemos nos levantar do sofá e ir atrás, porque nada vai ser deixado na nossa porta, e que reclamar não vai facilitar em nada. E o que isso tem haver com saudade? Simples, às vezes temos que seguir em frente, e o difícil não é seguir e sim continuar andando sem poder olhar para trás para ver tudo que estamos deixando. Meu caro pode ter certeza que quando menos esperarmos irá vir do nada aquela pessoa na nossa mente, não só uma e sim várias, a gente vai fechar os olhos com força, pegar o celular para ligar para elas, mas como? Se não temos mais seus números, se aquele pensamento devida nova. tudo novo subiu nas nossas cabeças, vamos olhar fotos de quando éramos felizes e não sabíamos e quando nos dermos conta a imagem estará toda encharcada de lágrimas, ai você vai cair na real que a vida não tem o botão de replay, e que não podemos pausar nos melhores momentos, e que aquele dia em que você amanheceu com vontade de faltar da escola, do trabalho ou qualquer outro encontro entre pessoas sem motivo algum, e que amanhã então tudo se acaba e tenho certeza que se você pudesse voltar no tempo transformaria aqueles dias desperdiçados em dias novos para rever os amigos, não é mesmo? E chegará algum dia em que vamos acordar no meio da noite, depois de um sonho talvez, e em meio ao desespero vamos abrir a porta e sair por ai, sabendo que não adianta, não iremos encontrá-los, a gente ajoelhará no asfalto no meio da madrugada, vamos chorar e chorar e iremos olhar ao nosso redor e nos perguntar “O que estamos fazendo aqui?”, e essas pessoas novas? Elas não lembram nada seus amigos não é mesmo? Elas são sérias, parecem que não viveram momentos como os seus, parece que você não se encaixa ali, você está buscando por um sonho, mas não está tão feliz por dentro, como você era naquele outro lugar. Então me diz “O que será de nós e de você sem tem alguém pra te entender?”